Veja a construção do mais novo arranha céu de Nova York em apenas um minuto

O grande centro da construção de arranha céus no mundo é a Ásia. Países como Catar, Emirados Árabes, Taiwan, China e Japão lançam projetos cada vez mais espetaculares e mais altos, e acabam até ofuscando o movimento em outros lugares. Caso de Nova York. Tirando o One World Trade Center, construído no local do antigo WTC, não se fala tanto dos novos edifícios altos da maior metrópole dos EUA. Mas eles continuam sendo lançados. Caso do 56 Leonard St. (o nome do edifício é seu endereço, algo comum em NY).

O prédio residencial foi entregue em 2016 e tem 250 metros de altura, o que o torna a 18ª estrutura mais alta de NY – e a primeira no bairro de Tribeca. O projeto previu apenas 57 andares para permitir o conforto de um pé direito alto para cada unidade. Algo compreensivo, considerando que os apartamentos custaram de US$ 3,5 a 50 milhões.

Nesta semana, a incorporadora Alexico, responsável pelo empreendimento, divulgou um vídeo mostrando a construção do 56 Leonard St. resumida em um minuto. É lindo e hipnótico.

Se toda a humanidade vivesse em um prédio, onde ele seria construído? No Paraná, claro

Qualquer pessoa que já pegou o trânsito de uma metrópole mundial pensou alguma vez se é saudável ter tanta gente morando no mesmo lugar. Mas podia ser pior. O Real Life Lore, um dos canais mais legais do YouTube, já fez as contas se toda a população da Terra vivesse na mesma cidade. Agora, foram para um aperto ainda maior, um teste à claustrofobia de qualquer um: e se toda a humanidade morasse no mesmo edifício?

Claro que não é uma proposta viável, apenas um exercício de imaginação. O imóvel seria mastodôntico e, bem, não há motivos para alguém investir nisso. Mas o autor tenta tornar sua ideia o mais exequível possível, incluindo a busca por um lugar em que esse prédio fosse minimamente viável.

Como todo investidor do mercado imobiliário já disse ou ouviu, as três coisas mais importantes de qualquer empreendimento são localização, localização e localização. E qual seria o lugar ideal para se fazer esse edifício em que morariam 7,4 bilhões de pessoas? No interior do Paraná, claro!

As justificativas são simples: grande oferta de água doce e de produção de energia (represa de Itaipu e proximidade com área adequada para painéis solares). Alguns podem até propor outros lugares para esse megaprédio, mas os paranaenses orgulhosos (ou seja, todos os paranaenses) têm mais um argumento para afirmar que o Paraná é o melhor lugar do mundo para se morar.

Confira o vídeo (em inglês):