“O maior embaixador de Nova Jersey.” Foi essa uma das formas utilizadas por Barack Obama para descrever a importância de Bruce Springsteen ao dar ao ícone do rock a Medalha Presidencial da Liberdade, no início desta semana. De fato, a imagem de The Boss é intimamente ligada à de Nova Jersey. Ele sempre falou do ambiente e das pessoas que vivem em um estado em crise de identidade por ser visto por muita gente apenas como um punhado de municípios da periferia de Nova York (ao norte) e da Filadélfia (ao sul).

Uma das músicas mais famosas de Springsteen, que serve até de título de uma de suas biografias, fala de Nova Jersey: Born to Run. No entanto, ela não faz uma declaração de amor ou exalta algum elemento da cultura ou da natureza do estado. A letra fala da angústia de se morar nele, e da necessidade de se sair de lá para melhorar vida (“Garota, esta cidade arranca os ossos do corpo / É uma armadilha mortal, é um ritmo suicida / Nós temos que cair fora enquanto somos jovens”).

A música fala do momento por que Springsteen passava, com a dificuldade de fazer sucesso fora de sua terra natal. Mas foi justamente com o álbum “Born to Run” que ele se tornou uma figura nacional, sem precisar sair de Jersey. Ano depois, com a carreira já consolidada, ele morou alguns anos em Los Angeles, mas retornou depois para esse pequeno estado que se define pelas metrópoles coladas a ele ao norte e ao sul.

Ouça “Born to Run” (letra com tradução):

Texto publicado originalmente para a newsletter do Outra Cidade. Para assiná-la, clique aqui.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePin on PinterestShare on Tumblr