Uma metrópole como São Paulo são várias cidades dentro de uma, e cada paulistano tem uma referência própria sobre o lugar em que vive. Por isso, centenas de músicas podem ser consideradas símbolos da capital paulista, pois cada uma retrata um pedaço desse gigante. Mas algumas acabam se destacando, virando referência. A principal é “Sampa”, provavelmente por seu autor ser alguém do tamanho de Caetano Veloso.

É uma música consagrada, mas parece que ela fala mais para um não-paulistano do que para algum local. E aí me vem a cabeça a música que mais parece simbolizar a São Paulo que eu vivo e conheço: “Amanhecendo”, uma das 15 canções da “Sinfonia Paulistana” composta por Billy Blanco ou, para a maioria das pessoas, “a música do ‘Vambora, vambora’ do programa da rádio”.

Blanco era paraense e viveu suas últimas décadas de vida (ele faleceu em 2011) no Rio de Janeiro, mas soube traduzir perfeitamente o espírito da cidade em que morou nos anos 40, quando cursou a faculdade de arquitetura. O ritmo frenético, a pressa, o agito, a dinâmica de pessoas entrando e saindo do metrô, a ideia fixa que é preciso trabalhar por um conceito industrial de “progresso” (uma ideia típica dos anos 60 e 70 e que sobrevive até hoje na cidade)…

A música virou a vinheta do Jornal da Manhã da Rádio Jovem Pan em 1974, ano em que foi lançada, e é usada até hoje. Isso ajudou a tornar a música de Billy Blanco na trilha sonora do café da manhã de milhões de pessoas, mas talvez tenha feito que ela virasse quase uma coisa só para paulistanos: por ser muito ligada a uma rádio, é raramente utilizada por outros veículos quando se precisa encontrar algum som que homenageie São Paulo.

Texto publicado originalmente para a newsletter do Outra Cidade. Para assiná-la, clique aqui.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePin on PinterestShare on Tumblr